Auto Esporte

Autonews

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Saiba tudo sobre pintura automotiva - Cores


A cor prata representa 36,32% dos carros fabricados no país, segundo a Jato do Brasil

Cores:
As cores representam a vida de um carro, por isso a escolha é um dos fatores determinantes na hora da compra. “No Brasil, carro é sinônimo de status, por isso as cores mais sóbrias, como prata, preto e cinza, são as mais procuradas”, afirma Penalva. Os fatores culturais, além de psicológicos, também interferem na preferência por algumas tonalidades. “As cores vermelhas e amarelas são geralmente mais voltadas para o público jovem e, aqui no Brasil, o branco não tem muita procura, pois é sinônimo de taxi”, disse Cláudia. Segundo levantamento feito pela Jato do Brasil, a cor prata foi a campeã de 36,32% dos veículos fabricados. A cor preta ficou em segundo lugar, co
m 28,37%, e a cinza, com 18,41%, terminou com a terceira posição.
A variação das tonalidades é muito semelhante no mundo inteiro. Na Europa, a preferência é a mesma dos brasileiros, mas nos Estados Unidos e na Ásia, o branco e o vermelho também aparecem nas primeiras posições. “Os mexicanos são apaixonados por cor. Por isso, vermelho e azul são as preferidas. Então, seja na pintura interna ou na externa temos que colocar um friso azul ou uma faixa para agradá-los”, afirma Adília Afonso, da Ford. Outro fator que também é considerado é o perfil do cliente e o perfil do carro. “O Ecosport é um carro de pessoas aventureiras, um público mais jovem e representado 50% por mulheres, por isso o vermelho acaba significando 10% das vendas. No entanto, a cor que sai mais no Fusion é o preto, que está relacionado ao luxo.”, afirma Antônio Baltar, gerente geral de marketing da Ford.
As cores ganham ainda mais significado. Pensando no marketing, as montadoras costumam utilizar cores fortes para chamar a atenção dos novos compradores. Mas, essas mesmas cores podem perder o efeito em alguns casos. “Cores fortes (amarelo, l
aranja e azul royal - por exemplo) costumam sofrer menor oscilação na revenda e são mais atrativos ao novos compradores”, afirma Pargas. O tempo de revenda de um automóvel segue em média a ordem de cores mais procuradas na compra. “Em uma pesquisa que vi, um carro prata foi vendido em 15 minutos, enquanto um veículo do mesmo modelo na cor verde demorou três meses”, afirma Baltar, que conclui: “O mercado brasileiro que criou esse mito que carro com cores fortes demora para ser vendido e isso passa a acontecer de tanto ser passado de boca a boca”.

Dica:
Existem três cores que requerem um maior cuidado. Preto, vermelho e azul-escuro. O preto e o azul-escuro evidenciam a sujeira e o vermelho, desbota mais rapidamente. Os preços dos serviços prestados nesses carros também são maiores em algu
mas oficinas. “As outras cores costumam durar cinco anos, ante apenas três desse trio.”, diz Hochheim, que na sua oficina cobra R$ 100 a mais em média para fazer o polimento em carros com essas três cores.


Curiosidade:

Em São Paulo, os táxis são brancos por que essa cor retém menos o calor, tornado os veículos sem ar-condicionado mais confortáveis para trabalhar no dia-a-dia, principalmente em dias quentes. Em Nova York, os famosos táxis amarelos têm uma explicação: a visibilidade. Em 1905, John Hertz, de Chicago, ouviu no boletim da Universidade de Chicago que a cor amarela misturada com um pouco de vermelho, pode ser vista de longe com facilidade. A partir de então, começou a pintar 400 veículos dessa cor, embora apenas em 1970 é que foi estabelecido o padrão para os táxis.


Instrumentos utilizados em oficina para aplicação da tinta

Fonte: Auto Esporte

Nenhum comentário: