Auto Esporte

Autonews

domingo, 1 de junho de 2008

■ Tudo sobre drifting

Com o lançamento do filme "Velozes e Furiosos: Desafio em Tóquio", as corridas de derrapagem ou "drifting" finalmente chegaram ao cinema. Hollywood com certeza já conhece há muito tempo o ficar fazendo círculos em torno de si mesmo com o carro, mas este filme é sobre o esporte de perder tração. Nas corridas de derrapagem ou "drifting", os pilotos forçam o carro a deslizar lateralmente nas curvas, o que pode causar uma verdadeira contradição: eles podem controlar o que acontece quando os pneus perdem a aderência à pista.


Foto cortesia de Fred Chang

Na realidade, o "drifting" não é um esporte novo. Se a traseira do seu carro já derrapou em uma estrada molhada e você lutou por 15 metros para controlá-lo, você já fez "drifting". Mesmo em corridas de carro o "drifting" é muito comum. Antigamente os carros não tinham a mesma aderência e nas corridas, quando o carro entrava em uma curva em alta velocidade e a traseira derrapava, ou ele rodava na pista, ou o piloto se recuperava da derrapagem e continuava à frente. Hoje, mesmo com pneus que podem aderir a uma parede vertical, a habilidade de derrapar sem rodar na pista é um atributo invejável. Os melhores pilotos podem controlar a derrapagem fazendo esta manobra - se um piloto percorrer uma trajetória "não-ideal" em uma curva e frear causando a perda de tração do carro, ele terá muito mais oportunidades de ultrapassar do que um piloto que não consegue controlar a derrapagem.

A novidade agora é fazer da derrapagem um esporte. As "corridas de derrapagem" nasceram nas montanhas sinuosas do Japão nos anos 90 e se espalharam pelos EUA e Grã-Bretanha nos últimos 5 anos. Uma derrapagem simples faz o carro andar de lado em uma curva, mas esta manobra pode ser muito complexa. Na categoria profissional, os pilotos podem derrapar nas curvas opostas sem que as rodas tenham aderência à pista. É aí que as pistas sinuosas das montanhas entram - a não ser pelo perigo de morte, as pistas das montanhas são um percurso ideal para se fazer o "drifting". As inúmeras curvas em formato de "S" permitem que os pilotos mostrem as suas habilidades avançadas de derrapagem.

Existem duas técnicas primárias que os pilotos usam para iniciar a derrapagem: embreagem e frenagem. A prática do "drifting" quase sempre requer um carro de tração traseira; é possível derrapar usando um carro de tração dianteira, mas é raro. Em uma derrapagem com técnica de embreagem comum, quando o piloto chega perto da curva, ele pisa na embreagem e engata a segunda marcha, eleva o giro do motor para 4.500 rpm e solta a embreagem. Quando isso acontece, existe um aumento enorme na força do motor que é enviada para as rodas porque o motor está girando muito rápido. O envio desta força repentina faz com que as rodas traseiras girem rápido causando a perda da tração e fazendo com que a traseira do carro derrape na curva. Na técnica básica de frenagem, o piloto puxa o freio de mão quando o carro entra na curva, fazendo com que as rodas traseiras travem e percam a aderência, iniciando assim, uma derrapagem. Este tipo de técnica é a única que pode ser usada com um carro de tração dianteira. Em um carro de tração traseira existe pelo menos uma dúzia de técnicas de derrapagem e os profissionais do "drifting" usam várias delas em uma única corrida.


Foto cortesia de Fred Chang

Uma vez iniciada a derrapagem, a parte difícil do esporte começa; segurar a derrapagem ao invés de rodar na pista requer muita prática. Especialistas do "drifting" usam uma combinação de controle da aceleração e dos movimentos do volante para controlar a derrapagem, não permitindo que o carro se endireite na pista, ganhe tração ou diminua a velocidade na curva. Os melhores pilotos podem manter a derrapagem por várias curvas consecutivas. Este é um nível de habilidade de derrapagem muito alto - os pilotos executam habilidosamente múltiplas técnicas, uma após a outra, para estender o controle da derrapagem. Na próxima seção, veremos as técnicas que você pode assistir no circuito profissional de corridas de "drifting".

Fazendo um carro derrapar


Foto cortesia de Fred Chang
A primeira técnica que um piloto precisa dominar é a da corrida comum. A Redução Punta-Taco permite que o piloto de corrida reduza a marcha rapidamente e sem trancos (para aumentar as rotações) enquanto está freando (para transferir o peso do carro para a frente). O objetivo desta técnica de redução de marcha é manter o equilíbrio entre o giro do motor e a velocidade da roda para evitar trancos ao reduzir as marchas. Para reduzir a marcha com esta técnica (Punta-Taco), enquanto o pé direito está no freio o pé esquerdo aciona a embreagem, o câmbio é colocado em ponto morto e a embreagem é solta. Então, mantendo a ponta do pé no freio, move-se o lado direito do calcanhar para o acelerador e dá-se uma acelerada suficiente para igualar rotação e velocidde do carro na marcha a ser engatada (geralmente em torno de 1.500 rpm por redução). Assim que a rotação desejada é atingida, desacelera-se e ao mesmo tempo a embreagem é apertada e efetua-se a redução de marcha. Executada corretamente, as rotações são aquelas que quando a embreagem é liberada o motor conecta-se à transmissão combinando com a velocidade das rodas e por conseguinte do veículo. Ao realizar esta técnica, o piloto estará pronto para executar algumas técnicas de derrapagem.

Técnicas baseadas na embreagem

  • Derrapagem "Clutch-kick", pela embreagem - ao chegar na curva, o piloto pressiona a embreagem, aumenta bastante o giro do motor e reduz a marcha. Quando ele solta a embreagem causa um aumento repentino de força que faz as rodas traseiras perderem momentaneamente a tração e patinarem. Esta é uma técnica básica do "drifting".
  • Derrapagem "Shift-lock", travamento de roda pela redução - ao chegar na curva, o piloto reduz a marcha com o pé fora do acelerador. Então ele solta a embreagem abruptamente, causando diminuição da velocidade e o travamento das rodas traseiras que perdem a tração.

Técnicas baseadas nos freios

  • Derrapagem "E-brake", pelo freio de estacionamento - o piloto entra na curva e puxa o freio de estacionamento para travar as rodas traseiras. Ele vira o volante para dentro da curva e a traseira derrapa para fora. Esta é uma técnica básica do "drifting".
  • Derrapagem "Braking", pelo freio de serviço - o piloto entra na curva e pressiona o freio para transferir o peso do carro para as rodas dianteiras fazendo com que as rodas traseiras se elevem e percam a tração. Ele então usa a combinação do freio e a troca de marchas para segurar a derrapagem sem travar as rodas traseiras.
  • Derrapagem "Lona-lide", escorregada longa - numa reta longa e ao se aproximar da curva em alta velocidade (até 160 km/h), o piloto puxa o freio de estacionamento para iniciar uma derrapagem longa e mantê-la dentro da curva.

Outras técnicas

  • Derrapagem "Poder-mover", de potência - o piloto acelera durante toda a curva levando a traseira sair do final assim que o peso muda na saída. Esta técnica necessita de muita potência.
  • Derrapagem "Feint", de batente - o piloto conduz o carro para o lado de fora na entrada da curva, o peso do carro é transferido para as rodas externas, então rapidamente vira o carro para dentro da curva. Quando a suspensão do carro dá batente, o peso muda tão rapidamente que a traseira sai e a derrapagem se inicia.
  • Derrapagem "Jump", pulo - ao entrar na curva, o piloto faz o pneu traseiro interno subir na lavadeira para transferir o peso do carro para as rodas externas e induzir a perda de tração, iniciando assim a derrapagem.
  • Derrapagem "Dynamic" (derrapagem "Kansei") - ao entrar na curva em alta velocidade, o piloto tira o pedal do acelerador repentinamente para transferir o peso para as rodas dianteiras iniciando uma derrapagem por conseqüência da perda de tração dos pneus traseiros.
  • Derrapagem "Swaying", rolagem - uma derrapagem "swaying" é muito parecida com a derrapagem "feint" exceto pelo fato de que a "swaying" começa na reta antes da entrada da curva. Quando o carro começa a derrapar, o piloto usa o volante para manter a derrapagem da traseira do carro de um lado a outro em sucessão.
  • Derrapagem "Dirt-drop", sujada de pneus - o piloto coloca os pneus traseiros fora do asfalto, na terra. Esta técnica ajuda a iniciar a derrapagem, manter a velocidade para segurar a derrapagem nas curvas múltiplas ou aumentar o ângulo de derrapagem (veja a próxima seção) em uma única curva.
Para informações e instruções para cada técnica mencionada, confira Seção Drift: técnicas de derrapagem (em inglês).


Foto cortesia de Fred Chang

Como você pode notar nas técnicas acima, o "drifting" não é coisa mais natural para um carro fazer. Para arranjar um carro em bom estado para o "drifting" e mantê-lo em bom estado para isso, existem algumas adições ou modificações que muitos pilotos fazem. Estas modificações podem incluir aumentar a potência e melhorar o sistema de arrefecimento do motor para agüentar o aumento da solicitação e os requisitos de potência, o reforço da suspensão (a suspensão MacPherson é a preferida) para ajudar a transferência de peso das técnicas de derrapagem e a instalação de um diferencial autobloqueante para que o piloto possa controlar o carro enquanto derrapa em mais de uma curva. Um diferencial autobloqueante permite que o carro transfira o torque para a roda que tenha tração, seja para uma ou para todas as rodas (veja Como funcionam os diferenciais para aprender mais sobre os diferenciais autobloqueante). O piloto irá desabilitar qualquer controle de tração e/ou sistemas anti travamento de freios para que os pneus possam perder tração mais facilmente, como também calibr-a-los com 10 libras acima do normal para diminuir a aderência à pista. Tendo em vista que os pneus podem se acabar em apenas algumas passagens de derrapagem, os pilotos colocam pneus bons na frente e pneus baratos na traseira. Os pneus são de longe os itens mais caros no esporte de derrapagem, isto é, a não ser que você compre um carro completo para praticar "drifting".

Se você quiser comprar um carro para "drifting", procure basicamente por um carro leve e de com tração traseira, que seja relativamente barato (os carros podem ficar muito danificados em circuitos de "drifting"). Outras qualidades que fazem um carro de "drifting" ser bom incluem uma relação de peso frente para traseira alta, alta potência e volante de motor leve para que o giro suba mais facilmente. Os carros mais populares para "drifting" são o Toyota Corolla AE86 GTS, o Nissan Silvia S13 ou S14, o Nissan 180 SX, o Nissan Skyline GTS-T, o Nissan Sil-Eighty e o Mazda RX-7 (os carros japoneses tendem a ser mais leves na traseira do que outros).


Foto cortesia de Raffaele Care
Toyota Corolla AE86 GTS (acima) e Nissan 180SX

Você encontrará uma ampla variedade de carros nas competições de "drifting", incluindo modelos americanos e europeus. A maioria dos profissionais lhe dirá que com o nível certo de habilidade você pode fazer de qualquer carro um para "drifting" e além dos carros de "drifting" comuns é possível se ver desde Ford Mustangs até BMWs nas corridas .

O julgamento nas competições de "drifting" é muito diferente dos de qualquer outro tipo de corrida de automóveis. É mais parecido com o julgamento de uma competição de patinação no gelo do que com uma corrida de Stock Cars. Na próxima seção, você verá o que acontece em uma competição de "drifting".

Competições de drifting

Como qualquer outra corrida de carros, as competições de drifting têm requisitos de segurança . Na maioria dos eventos, os carros devem estar equipados com bancos especiais para carros de competição com cintos de cinco pontos, gaiolas protetoras internas e os pilotos precisam usar capacete. As pistas de corridas de "drifting" são mais curtas do que as outras. Elas têm no mínimo uma e no máximo 5 ou 6 curvas em forma de "U", uma série de curvas em "S" ou um grande círculo que é uma curva única e interminável.


Desenho de uma pista de corrida no Havaí que tem 3 percursos de "drifting"

Em uma competição de automóveis as corridas são julgadas subjetivamente e não com um cronômetro. Existem dois tipos de corridas de "drifting": a corrida solo, que acontece no começo da competição e a corrida de duplas que acontece depois da classificação da corrida solo, quando resta um número limitado de pilotos. As corridas solo envolvem um único carro realizando uma corrida de "drifting" no percurso e a pontuação vai até 100 pontos para cada corrida. Os critérios do julgamento incluem:

  • Driving line - a trajetória que o carro faz em uma curva deve ser precisa, com a frente do carro perto da parte interna da curva. Para ganhar pontos extras, um piloto também pode mostrar a habilidade em manter a traseira do carro perto do lado de fora da curva.


    Foto cortesia de Fred Chang
  • Speed - quanto mais rápido ao longo da curva, melhor. Os juízes gostam de velocidade na entrada, durante e na saída da curva.
  • Drift angle - o ângulo de derrapagem é o ângulo do carro durante uma curva relativo à direção do deslocamento. Quanto mais a traseira do carro sair, melhor. Este elemento também inclui a quantidade de tempo que o ângulo é mantido. Essencialmente, o ângulo de derrapagem ideal terá que manter o carro perpendicular à direção do percurso durante toda a curva.


    Foto cortesia de Fred Chang
  • Performance/Execution - em corridas de "drifting" o que vale é o show. Os juízes dão pontos de desempenho baseados em elementos como estilo de condução e a fumaça gerada pelos pneus durante a derrapagem. Os pilotos costumavam ganhar pontos de desempenho abrindo a porta durante a derrapagem ou colocando os braços ou as pernas para fora da janela, mas isto não é mais permitido na maioria das competições. As janelas e as portas devem permanecer fechadas.
Uma vez que as corridas solo tenham reduzido o número de concorrentes, a competição passa para as corridas em tandem, em fila, um carro sempre atrás do outro. Neste estágio, dois carros estão no percurso ao mesmo tempo, trocando papéis, uma vez como carro líder, outra vez como carro perseguidor. Esta é uma estratégia de defesa/ataque destinada a descobrir quem derrapa melhor sob pressão. O carro líder precisa evitar o carro perseguidor e ao mesmo tempo executar uma derrapagem ideal: enquanto isto, o carro perseguidor tenta atrapalhar o carro líder e executar a derrapagem ideal. Um piloto que roda na pista ou causa contato, perde automaticamente a corrida em tendem. Nesta corrida, os juízes atribuem os pontos por comparação, portanto só um piloto sairá ganhador.


Foto cortesia de Fred Chang

Foto cortesia de Fred Chang

Foto cortesia de Fred Chang

Se você está interessado em participar do "drifting", deve seguir o mesmo caminho que seguiria para participar de qualquer outro tipo de esporte motorizado. Comece aprendendo a pilotar, e a melhor maneira de aprender a pilotar é participando de uma competição de iniciantes realizada por uma das associações de pilotos de "drifting". Não tente aprender em vias públicas ou estacionamentos vazios, pois é inseguro para todos, incluindo o piloto. Em um estacionamento vazio não existe ajuda se você bater o carro, o que é uma possibilidade em um esporte baseado na premissa da perda de controle.


Foto cortesia de Fred Chang

Assim que você aprender os conceitos básicos, pode ir a pistas de "drifting" quando os pilotos estiverem treinando para as competições e derrapar à vontade - terá que pagar por hora, mas a equipe de segurança estará de prontidão se houver algum acidente e isto também lhe dará a chance de conhecer outros pilotos de "drifting" e de se inscrever em competições que procuram pilotos e em rodadas amadoras de classificação. Os vencedores de tais eventos podem participar de competições de classificação e os vencedores destas podem ir subindo até chegar ao circuito profissional de "drifting".

Nenhum comentário: